Você precisa poupar para quantos anos de aposentadoria?

Fazer essa projeção pode ser estranha, mas necessária

Se tem um assunto que ninguém gosta de falar é sobre morte, contudo, em um contexto de aposentadoria, é normal pensar quantos anos de vida ainda tem pela frente para fazer um planejamento e garantir um padrão de vida adequado no final da vida. 

Esse tipo de pensamento se intensificou nos últimos tempos por conta do projeto de Reforma da Previdência. Gerou-se uma polêmica porque atualmente, a expectativa de vida dos brasileiros é de 76 anos, segundo o IBGE, enquanto a reforma prevê a idade mínima de 65 anos para a aposentadoria. Em matemática simples, restariam apenas 11 de aposentadoria. O brasileiro então morrerá de trabalhar?

A discussão fica ainda mais séria quando se pensa nas diferenças regionais, na região Norte, a expectativa é de 72,8 anos, por exemplo, enquanto na Sul é de 78,3 anos. Sendo assim, quem nasceu na região Norte tem 5,5 anos a menos para viver a aposentadoria.

Contudo, pensando mais friamente, não que essa expectativa de vida ao nascer não importe, mas o que vale mesmo é a expectativa de vida de vésperas da aposentadoria.

O que isso significa? A expectativa de vida ao nascer é calculada a partir das idades das pessoas que morreram em determinado ano, são somadas e, depois, divididas pelo total de óbitos. Mas é claro que considera todos os motivos possíveis de morte, como mortalidade infantil. 

Por isso, o cálculo da expectativa de vida antes de aposentar faz mais sentido, afinal, um idoso não tem mais risco de mortalidade infantil. Neste caso, se a idade para aposentar for 65 anos, para calcular, temos que excluir riscos de mortes até 64 anos. 

Para saber quanto poupar para a sua aposentadoria, de acordo com a sua expectativa de vida agora, podemos basear nos cálculos que a consultora financeira CFP® Luciana Ikedo fez para o portal Valor Investe. 

A consultora considerou a renda média do brasileiro de R$ 2.270 mensais, e a idade de aposentadoria que tem sido alvo de polêmica, 65 anos. O investimento seria hipotético de rendimento real (descontada a inflação) de 4% ao ano. Vale lembrar que quanto mais velho fica, a expectativa de vida vai subindo. Confira como ficou na tabela:

 

Idade atual

Expectativa de vida

Tempo de contribuição (anos)

Tempo de utilização do recurso (anos)

Montante no momento da aposentadoria, aos 65 anos

Contribuição Mensal

Fatia da renda poupada ao mês

20

77,7

45

12,7

R$ 270.625

R$ 181

8%

30

78,5

35

13,5

R$ 284.493

R$ 314

14%

40

79,3

25

14,3

R$ 295.693

R$ 578

25%

50

80,5

15

15,5

R$ 315.160

R$ 1.285

57%

Fonte: Luciana Ikedo, consultora CFP®

Repare que o tempo de contribuição diminui com o passar do tempo, contudo, a contribuição deve ser maior se você começar se você começar mais tarde. Por isso, o tempo de começar é o mais cedo possível. 

Tenha um plano B

Além de contar com a previdência tradicional, que tem um teto limitado e pode não atender seu padrão de vida nos anos que restarem, você tem a opção de contar com uma previdência complementar. 

É um investimento a longo prazo que você guarda uma quantia, durante um período determinado e de acordo com sua disponibilidade. Conforme o tempo passa, o saldo vai sendo acumulado, juntamente com os rendimentos.

O valor da previdência privada somado à tradicional pode garantir um padrão confortável de vida, conforme seus objetivos. Aproveite o agora para se preparar. 

Tags: aposentadoria previdência

Veja mais