Dia da Amazônia: como ajudar a salvar a maior floresta tropical do mundo

É tempo de cuidar antes que seja tarde

Ao olhar qualquer noticiário ou a própria Internet nota-se que a Amazônia tem vividos dias sombrios, o mês de agosto teve o maior número de focos de queimadas na Amazônia dos últimos 9 anos, segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

Os números são assustadores: foram 30.901 focos de queimadas no bioma Amazônia. Recorde para o mês foi batido em 2005, com 63.764 registros, mas número não passava de 22 mil desde 2010. A principal explicação para focos tão grandes é a alta do desmatamento, segundo o Deter (Detecção do Desmatamento em Tempo Real),  um dos sistemas do Inpe, a retirada das árvores em julho deste ano teve crescimento de 278% em relação ao mesmo mês do ano passado. O Deter ajuda o Ibama a combater o desmatamento.

O bem que a Amazônia faz para o planeta é imensurável, ela detém de uma biodiversidade única, quase metade das espécies terrestres de fauna e flora são encontradas lá. Conforme há destruição, o processo de extinção em massa acelera.

O equilíbrio do clima e das temperaturas do planeta também dependem da floresta. Ela é responsável por regular o sistema de chuvas que abastece diversas partes do Brasil. Só nos últimos dias que as queimadas aumentaram, foi possível ver fumaça até do espaço, por imagens de satélite da Nasa. O corredor de fumaça vem descendo pela América do Sul desde a semana passada, atingindo o Centro Oeste, o Sudeste e o Sul do Brasil, e países vizinhos como Argentina, Uruguai, Peru e Bolívia.

O desequilíbrio ambiental é o maior problema, contudo, existe um risco econômico também. Depois dos últimos acontecimentos, consumidores e a imprensa de todo o mundo têm tido resistência com os produtos brasileiros, uma espécie de boicote. Sendo assim, o PIB brasileiro pode diminuir ainda mais, já que grande parte dele vem da exportação de produtos. Isso reflete nos empregos, no poder de compra e na vida do trabalhador brasileiro.

Diante de todo esse cenário, uma coisa é fato: a Amazônia é responsabilidade de todos. Governos, instituições, empresas e cidadão. Mesmo quem não vive perto da floresta tem seus deveres na preservação. Confira algumas dicas práticas de como você pode ajudar:

  • Participar de ações: existem inúmeros projetos em prol da Amazônia, uma opção é contribuir com doações de bens e tempo nessas instituições, além de participar de ativações, mobilizações e campanhas, seja no mundo virtual ou pessoalmente.

  • Reduzir o consumo de carne: a criação de gado é um dos motivos pelo qual há desmatamento na floresta. Além disso, o consumo no Brasil é o dobro do sugerido pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Se cada um diminuir esse consumo, faz uma grande diferença.

  • Consumo consciente: procure comprar papel e madeira que sejam certificados, assim eles são produzidos de maneira sustentável. Neste sentido, dê preferência também para outras marcas de produção sustentável que preserve a Amazônia.

  • Povos indígenas: além da fauna e flora, os povos indígenas também são grandes vítimas da deterioração da floresta. Apoie a resistência e luta deles.

É preciso ter consciência de tudo que está acontecendo e lutar para reverter essa situação. Os cidadãos têm o poder de cobrar e agir de forma diferente para salvar a Amazônia e o futuro de toda a sociedade. 

 

Tags: qualidadedevida saúde

Veja mais